Warning: session_start(): Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/tgsm/public_html/index.php:7) in /home/tgsm/public_html/wp-content/themes/enfold/config-templatebuilder/avia-shortcodes/masonry_entries.php on line 32

Warning: session_start(): Cannot send session cache limiter - headers already sent (output started at /home/tgsm/public_html/index.php:7) in /home/tgsm/public_html/wp-content/themes/enfold/config-templatebuilder/avia-shortcodes/masonry_entries.php on line 32
Smart Grid - TGSM
Night_street_lights-other

Medição de Energia por Telemetria

Configuração Remota

Reposição de Demanda

Memória de Massa Online

Alertas por SMS

BearComNOC

Sistema de Medição Centralizada

Grupo A

Grupamento composto de unidades consumidoras com fornecimento em tensão igual ou superior a 2,3 kV, ou atendidas a partir de sistema subterrâneo de distribuição em tensão secundária, caracterizado pela tarifa binômia.

Grupo B

Grupamento composto de unidades consumidoras com fornecimento em tensão inferior a 2,3 kV, caracterizado pela tarifa monômia.

Sistema de Medição Centralizada

Sistema que agrega módulos eletrônicos destinados à medição individualizada de energia elétrica, desempenha as funções de concentração, processamento e indicação das informações de consumo em um NOC.

Sobre Telemetria GSM

O conceito de telemetria já é bastante difundido mundialmente e pode ser aplicado em diversas situações, pois se baseia na ideia de transmitir e receber dados através de tecnologias de comunicação sem fio. Ou seja, um equipamento que esteja “gerando” dados em um determinado local, poderá ter suas informações enviadas para outro equipamento utilizando a comunicação sem fio.

A palavra telemetria vem do grego tele = remoto e metron = mensurar. Por isso, os dados transmitidos e recebidos pela telemetria são caracteristicamente relacionados à mensuração de equipamentos ou mesmo de processos, dependendo da sua forma de aplicação.

Antes do uso da telemetria, as concessionárias precisavam ir até o local onde o medidor estava instalado uma vez por mês para verificar o consumo de energia e emitir a conta. Supondo que este cliente estivesse a 200 km de distância – um cenário bastante mediano, uma vez que os clientes estão espalhados por toda a área de concessão da empresa – anualmente seriam percorridos 4.800km de ida e volta. Após a aplicação da telemetria, a viagem do técnico ao medidor foi eliminada do processo de coleta de dados de consumo. Ao chegar ao escritório, o técnico necessitará ainda de algumas horas, ou até mesmo dias, para repassar os valores de consumo dos clientes visitados para a área da concessionária responsável pela cobrança.

A telemetria, além de oferecer dados detalhados, dispõe as concessionárias informações atualizadas em tempo real, e seu acompanhamento permite uma visão mais completa e crítica da distribuição e do consumo.

  • Instalação

    Conforme um protocolo, a instalação de equipamentos possui uma sequencia que possibilita um acompanhamento logístico da equipe e distribuição. Pode ser adaptado de forma a contribuir com a eficiência da equipe externa que será responsável pela manutenção dos pontos de medição. Todo processo pode ser acompanhado pela sala de controle.

  • Servidor na Nuvem

    O armazenamento de dados é feito em serviços que poderão ser acessados de qualquer lugar do mundo, a qualquer hora, não havendo necessidade de instalação de programas ou de armazenar dados (Servidor Local). O acesso a programas, serviços e arquivos é remoto, através da Internet – daí a alusão à nuvem. O uso desse modelo (ambiente) é mais viável do que o uso de unidades físicas e fornece um padrão se segurança mais alto do que os modelos anteriores.

  • Escalabilidade

    Como o sistema estará rodando diretamente na nuvem, a capacidade poderá ser manipulada conforme haja aumento de demanda, é extremamente importante em sistemas eletrônicos, bancos de dados, roteadores, redes de computadores, etc, a capacidade de expandir em tempo real. Um sistema cujo desempenho aumenta com o acréscimo de hardware, proporcionalmente à capacidade acrescida, é chamado “sistema escalável”.

  • Administração

    A gestão dos dados coletados poderá ser feita através de qualquer ponto de acesso a internet, sendo possível a implantação de um NOC no centro de operações da Concessionária. Todo sistema se baseia em conceitos de design intuitivos que, permitem ao usuário fácil manuseio e compreensão das informações apresentadas.

  • Segurança

    A autenticação de equipamentos e a criptografia são procedimentos adotados por este software. Além da segurança oferecida pelo servidor, no Brasil é possível contar com a legislação. Mesmo não havendo leis específicas para o assunto, no entendimento da Justiça as leis n. 9.279/96, 9.456/97, 9.609/98 e 9.610/98 são aplicáveis às questões da nuvem.